segunda-feira, 29 de junho de 2009

1958 - 2009

Morreu semana passada o maior ícone da música pop: Michal (Joseph) Jackson. Um artista que teve o auge dos auges e uma conseqüente decadência física e mental. A diferença entre o pico e o vale foi tão grande que resultou em morte. Morte esta que se deu de maneira estranha, pouco clara e trágica de certa forma. Fiquei triste... Ele era louco mas era talentoso.

Lembro-me de uma festa junina que teve aqui na minha rua. Isso deve ter acontecido por volta de 1992 ou 1993. Nesta festa, alguém colocou o disco “Bad” do artista em questão. Me lembro da capa com letras vermelhas. Foi muito engraçado! Um menino (não me lembro quem) saiu dançando imediatamente que o disco começou a tocar, porém um senhor (que eu sei quem é) esbravejou que aquilo não era coisa de festa junina e colocou um Trio Parada Dura da vida (que também não é “bem” coisa de festa junina).

Outra coisa legal que me lembro do Michael Jackson eram os clipes. Ele revolucionou o mercado, fez do clipe um negócio de proporções gigantescas. Thriller é um curta-metragem e com toda a certeza impulsionou as vendas do disco de mesmo nome, fazendo-o o mais vendido da história! Black or White tem efeitos especiais espetaculares. Aqueles rostos mudando no fim são sensacionais. Um software foi criado somente para aqueles efeitos (que continuam impares) e ainda hoje esse programa é utilizado para finalidades semelhantes.

Poderia ficar aqui falando muitas coisas do Michael Jackson. Ele poderia ser louco, pedófilo, “auto-racista” e um monte de outras coisas, mas era também um grande cantor, dançarino e letrista. Sofreu e fez sofrer. O pai rígido, a vergonha da própria cor e a cobrança artística deve ter ajudado a torná-lo o que tornou. No entanto muitas pessoas, entre elas Paul McCartney e Gavin Arvizo, sofreram por causa de Michael Jackson. Não quero julgar o cidadão Michael Joseph Jackson, quero exaltar o artista Michael Jackson. Um gênio, revolucionário, ousado e criativo e que vai fazer muita falta...

Um comentário:

Praxedes disse...

Realmente ele era muito bom!!
Completamente louco, mas acho que a vida pessoal dele pouco importa para mim, só sei várias músicas dele marcaram minha vida